Editorial

A (des)igualdade no Governo e nas empresas

O Governo vai assinar um protocolo com mais de uma dúzia de empresas cotadas para terem, pelo menos, 30% de mulheres nas administrações até 2018.

Sociedade Aberta

  • Raul Vaz

    SIM

    Não há memória de uma campanha eleitoral num país europeu deixar tanta gente em suspense máximo. Muito menos há memória de um referendo à população de um Estado-membro da União Europeia deixar Barack Obama à beira de um ataque de nervos.
  • Nuno Melo

    Estado de negação

    Há dias, no Twitter, Edite Estrela escreveu que “se o PS tivesse maioria absoluta não teria vindo a ‘troika’”. Supõe-se que pretendia ser levada a sério. Não se percebe é como.
  • Marco Capitão Ferreira

    Amanhã pode ser tarde demais

    Foi o que qualquer pessoa inteligente pensou ali algures na passada quinta-feira. E foi. Para lá das incidências directas do assunto "Crise na Europa: o fascículo Grécia", que estou certo já estarão perfeitamente dissecadas à data de publicação deste texto, convém olhar um pouco mais longe e procurar as consequências indirectas.
  • Hermínia Saraiva

    Os bons princípios começam em casa

    O Governo quer mais mulheres na administração das cotadas portuguesas. Treze já disseram que sim e, se o cumprirem, 30% dos administradores serão, em 2018, mulheres.
  • Jorge Jordão

    Diálogo social

    Há mais de dois anos que os indicadores de confiança e de perceção da situação económica estão em alta. Os dados mais recentes indicam mesmo que, em maio, esses indicadores subiram para o máximo de sete anos.

Blogosfera

E agora Grécia?

Edição Impressa

PUB
ir para o topo