Assinaturas 0.36 dia x
IMPRIMIR

Portugal é o país europeu com menos mulheres nos Conselhos de Administração

Em 2013, apenas 5% dos lugares em administrações de empresas no índice bolsista Stoxx Europe 600 eram ocupados por mulheres em Portugal. Na Noruega são cerca de 40%.

Portugal é entre os países europeus aquele que apresenta uma menor percentagem de mulheres em Conselhos de Administração, indica hoje a agência Bloomberg.

Os dados analisados pela Bloomberg Intelligence mostram que em Portugal, em 2013, apenas 5% dos lugares em administrações de empresas no índice bolsista Stoxx Europe 600 eram ocupados por mulheres.

O segundo lugar nesta tabela é ocupado pela Grécia, com 6,7% dos lugares de administração no feminino, e de seguida surge a Itália, com uma percentagem de 10,5%.

Em contrapartida, é na Noruega que os Conselhos de Administrações contam com mais mulheres (cerca de 40%), depois de em 2003 o país ter tornado obrigatória uma quota mínima de 40%.

Seguem-se a Finlândia e a França, que adotaram também legislação nesta área, acrescenta a Bloomberg. Itália, Espanha, Alemanha, Bélgica e Holanda têm igualmente regras legais que impõem quotas mínimas quanto à presença de mulheres em administrações de empresas.

"Parece tão anacrónico no mundo moderno termos tão poucas mulheres em Conselhos de Administração", comentou em declarações à Bloomberg Helena Morrissey, fundadora do 30% Club, que tem como objetivo aumentar para esse nível a presença de mulheres em administrações nas empresas do índice FTSE 100.

A mesma especialista considera que, nalguns países, o baixo número de administradores do sexo feminino poderá ser uma das causas para os problemas de crescimento económico.

 

Comentários

"O Económico apela aos leitores para que utilizem este espaço para um debate sério e construtivo, dispensando-se, para o bem de todos, o insulto e a injúria gratuitos. Desaconselha-se o uso exclusivo de maiúsculas e a repetição de comentários. Comentários inadequados devem ser denunciados e quando tiverem mais de cinco denúncias serão eliminados. O IP do leitor não será revelado mas ficará registado na base de dados".

Trending now

    ir para o topo