Pub&Media

28 Jul 2010

Portugal e Brasil querem criar canal de televisão lusófono

Margarida Henriques
Portugal e Brasil querem criar canal de televisão lusófono

O canal será aberto às empresas de comunicação públicas dos países de língua portuguesa.

A criação de um canal de televisão lusófono para a difusão internacional de produtos audiovisuais em língua portuguesa é um dos objectivos dos governos português e brasileiro. O desenvolvimento deste projecto implica a criação de uma equipa de trabalho composta por membros da RTP e da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que assinaram ontem um protocolo de cooperação.

A equipa é aberta às empresas de comunicação social públicas dos outros membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Tudo para "valorizar a língua portuguesa, que é falada por 250 milhões de pessoas em todo o mundo", sublinhou o ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão.

O canal será gerido em parceria entre os dois países. Para tal foi assinado ontem em Lisboa um acordo entre o gabinete do Ministro dos Assuntos Parlamentares português e a secretaria de Comunicação Social do Brasil.

"Queremos criar um canal de televisão que marque de forma significativa o espaço da língua portuguesa entre as instituições de serviço público, em convergência de propósitos entre os dois governos", afirmou Jorge Lacão. Por tudo isto, o ministro dos Assuntos Parlamentares não hesita em afirmar que "este pode ser um momento de elevado significado no desenvolvimento da cooperação entre Portugal e Brasil e também no incremento da cooperação mais alargada com o conjunto de países da CPLP".

A ideia para este canal surgiu há menos de dois meses num encontro entre o primeiro-ministro português e o presidente Lula da Silva. Agora, Guilherme Costa, presidente da RTP, acredita que o estudo de viabilidade estará concluído até ao final do ano. Para já, "foram definidas metodologias que permitem à RTP estar mais presente no Brasil e vice-versa", disse Guilherme Costa. Um dos vários pontos em análise será o modelo de negócio e a forma de financiamento, ainda por definir.

Além do canal de televisão, o acordo assinado entre as duas operadoras de serviço público pretende promover o intercâmbio de programas e outras obras audiovisuais, a realização de coproduções, o apoio à produção de obras cinematográficas e audiovisuais, a formação profissional e o intercâmbio profissional e técnico, bem como o desenvolvimento de serviços conexos conjuntos, com especial destaque para a área da Internet.

O acordo assinado entre os dois governos prevê ainda a criação de condições para a melhoria dos serviços de rádio, televisão e serviços conexos prestados aos públicos do Brasil e de Portugal, e a todos os outros que falam a língua portuguesa.

A cooperação luso-brasileira passará também pela promoção de condições para uma ampla difusão dos respectivos canais internacionais em ambos os países.

 

Recomendadas

x

Social

x
    0 LEITORES ONLINE

    Comentários

    "O Económico apela aos leitores para que utilizem este espaço para um debate sério e construtivo, dispensando-se, para o bem de todos, o insulto e a injúria gratuitos. Desaconselha-se o uso exclusivo de maiúsculas e a repetição de comentários. Comentários inadequados devem ser denunciados e quando tiverem mais de cinco denúncias serão eliminados. O IP do leitor não será revelado mas ficará registado na base de dados".

    Trending now

      ir para o topo