Política

06 Mar 2013

"O País está a ser posto em causa"

Filipe Garcia

Associações de militares reuniram em Almada e recusam que o Executivo os envolva "na destruição do país".

"O país está a ser posto em causa, do país fazem parte as Forças Armadas, que são um dos fundamentos do Estado, e são os fundamentos do Estado que neste momento estão a ser postos em causa", disse Manuel Pereira Cracel, presidente da Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA), à saída do encontro com as outras duas associações militares, de Sargentos e Praças.

Vasco Lourenço, presidente da associação 25 de Abril, esteve presente como moderador do debate e também ele lançou um alerta. "Espero que o poder político tenha o bom senso de ler os sinais que a sociedade portuguesa e os militares lhe têm enviado para arrepiar caminho", disse o capitão de Abril.

Com José Pedro Aguiar-Branco, ministro da Defesa, como alvo de todas as críticas, também Lima Coelho, presidente da Associação Nacional de Sargentos, teceu duras críticas. "Servimos a Nação e não nos servimos da Nação, há uma imagem distorcida de que os militares e suas famílias são privilegiados", disse.

De recordar, que recentemente o ministro da Defesa anunciou que o seu ministério iria contribuir com 218 milhões de euros para o anunciado corte da despesa do Estado e que o actual corpo militar nacional podia ser encurtado em 8 mil homens.

Recomendadas

x

Social

x
    0 LEITORES ONLINE

    Comentários

    "O Económico apela aos leitores para que utilizem este espaço para um debate sério e construtivo, dispensando-se, para o bem de todos, o insulto e a injúria gratuitos. Desaconselha-se o uso exclusivo de maiúsculas e a repetição de comentários. Comentários inadequados devem ser denunciados e quando tiverem mais de cinco denúncias serão eliminados. O IP do leitor não será revelado mas ficará registado na base de dados".

    Trending now

      ir para o topo