Empresas

17 Mai 2012

Medidas do Governo com impacto de 2,5% no lucro da EDP

Pedro Latoeiro
Medidas do Governo com impacto de 2,5% no lucro da EDP

Eléctrica diz que medidas hoje anunciadas por Álvaro Santos Pereira vão custar por ano 1% do EBITDA e 2,5% do lucro por acção a partir de 2014.

Em comunicado divulgado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o regulador do mercado português, a EDP deixa a estimativa de que "em termos globais, o impacto económico-financeiro para o Grupo EDP, a partir do momento em que aquelas medidas produzam os seus efeitos (2014), corresponda aproximadamente a 1% do EBITDA ou 2,5% do EPS (lucro por acção) por ano".

A eléctrica reconhece ao mesmo tempo que "este novo enquadramento permite alcançar a necessária previsibilidade e estabilidade regulatória, de médio a longo prazo, no sector eléctrico nacional".

O Governo português, em cumprimento do memorando da ‘troika', anunciou hoje um conjunto de medidas para diminuir as rendas excessivas no sector energético e reduzir alguns custos em apoios financeiros à produção (ler notícia relacionada). Para a EDP os mais relevantes são "o ajustamento da taxa de juro aplicável à repercussão tarifária do montante anual da parcela fixa dos Custos de Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC)" e a revisão dos montantes de incentivo ao investimento para a produção de energia eléctrica resultantes da garantia de potência".

Na sessão de hoje as acções da EDP desceram 5,06% para 1,82 euros.

 

x
Recomendadas
x
Social
    0 LEITORES ONLINE

    Comentários

    "O Económico apela aos leitores para que utilizem este espaço para um debate sério e construtivo, dispensando-se, para o bem de todos, o insulto e a injúria gratuitos. Desaconselha-se o uso exclusivo de maiúsculas e a repetição de comentários. Comentários inadequados devem ser denunciados e quando tiverem mais de cinco denúncias serão eliminados. O IP do leitor não será revelado mas ficará registado na base de dados".
    ir para o topo