IMPRIMIR

Empresários de carrosséis desagradados com Portas

Empresários de carrosséis manifestaram-se hoje em Ponte de Lima desagradados com a resposta dada pelo líder do CDS sobre a atribuição dos espaços nas Feiras.

Os empresários querem um concurso público, "processos transparentes" na atribuição dos espaços por parte da autarquia, gerida pelo CDS, falam em "negociação em gabinetes municipais à porta fechada" e em "suspeita de favorecimento", disse o dirigente da associação portuguesa de empresários de diversão Luís Paulo Fernandes.

O antigo presidente da Câmara de Ponte de Lima Daniel Campelo esteve envolvido na mediação com os manifestantes, que respeitaram a realização do comício, tendo no final exigido falar com Paulo Portas, como, afirmaram, lhes tinha sido prometido.

O líder democrata-cristão dirigiu-se a um café após o comício, onde os manifestantes o seguiram e, com alguma exaltação, exigiram à porta do estabelecimento falar com Portas.

Luís Paulo Fernandes entrou no café, em representação dos empresários, falou com Portas e com o autarca, Victor Mendes, mas saiu desagradado com o encontro.

"O Paulo Portas o que me disse foi para eu enviar um e-mail", disse aos jornalistas, acusando, por outro lado, o autarca de Ponte de Lima de os ter ameaçado de se não parassem o protesto "este ano não haveria carrosséis nas festas".

"Ele tem que dar o exemplo neste concelho", afirmou Luís Paulo Fernandes sobre o líder democrata-cristão, com quem os jornalistas não conseguiram falar.

 

PUB