Empresas

11/10/10 07:42

Empresa que produz o Ben-u-ron investe oito milhões em Portugal

Catarina Duarte

A farmacêutica alemã vai estabelecer em Portugal a única subsidiária directa fora da Alemanha.

Empresa que produz o Ben-u-ron investe oito milhões em Portugal

A bene farmacêutica, a empresa alemã que produz o Ben-u-ron, escolheu Portugal para estabelecer a sua única subsidiária directa. Para tal, vai investir em Portugal oito milhões de euros no próximo ano.

O desafio da empresa é manter o seu principal produto nos top de vendas, aumentando assim o volume de negócios. "Vendemos cerca de nove milhões de embalagens de Ben-u-ron por ano. Isso quer dizer que cada português tem um Ben-u-ron em casa", explica Frank Tischler, director-geral da bene. A divisão da farmacêutica em Portugal começou a funcionar em Agosto e prevê encerrar o ano com uma facturação de 5,5 milhões de euros. A expectativa da empresa é atingir uma facturação de 15 milhões de euros em 2011 e posicionar-se como a terceira maior empresa em termos de unidades, alcançando as 11 milhões de unidades vendidas nem 2011.

Num ano particularmente difícil para a indústria farmacêutica, com duas baixas administrativas no preço dos medicamentos, o mercado nacional mantém um "interesse estratégico" para a farmacêutica alemã. Portugal é o único país da Europa onde o Ben-u-ron é o produto mais vendido e prescrito do mercado, explica Frank Tischler. "30% dos portugueses sofre de dor crónica", um mal que impulsiona as vendas desta farmacêutica que se posiciona na área da terapêutica da dor.

Além do Ben-u-ron, a bene é responsável pela comercialização em Portugal de outros três produtos: Trombocid, Dol-u-ron e Fibrocid. No horizonte está o lançamento de seis novos medicamentos nos próximos dois anos.

"Queremos uma aproximação mais holística ao médico, ou seja, oferecer não só os produtos mas também serviços que o médico pode aplicar a cada doente", explica Tischler. Para isso, das 37 pessoas que vão integrar a bene em Portugal, 21 são delegados de informação médica. Com a quota dos genéricos a crescer, Tischler diz que a "diferença de preço em relação ao genérico é mínima", por isso acredita que o Ben-u-ron continuará a ser visto "como um medicamento de confiança".

Segundo os dados do mais actualizados do Infarmed, relativos a 2008, foram prescritas 2,8 milhões de embalagens de Ben-u-ron no Serviço Nacional de Saúde, o equivalente a seis milhões de euros.

 

x
Comentários
Disclaimer
"O Económico apela aos leitores para que utilizem este espaço para um debate sério e construtivo, dispensando-se, para o bem de todos, o insulto e a injúria gratuitos. Desaconselha-se o uso exclusivo de maiúsculas e a repetição de comentários. Comentários inadequados devem ser denunciados e quando tiverem mais de cinco denúncias serão eliminados. O IP do leitor não será revelado mas ficará registado na base de dados".
x
Recomendadas
x
Social
    0 LEITORES ONLINE