Economia

01/03/12 13:08

Desemprego pode originar "crise social grave"

Económico com Lusa

João Proença diz que se podemos estar perante o início de "uma grave crise social".

Desemprego pode originar

O secretário-geral da UGT defendeu hoje que "se não colocarmos o desemprego no centro das preocupações estamos a ir muito mal", podendo originar-se "uma grave crise social" e insistiu que não há emprego sem crescimento económico.

"O desemprego deve ser a principal preocupação a nível nacional", disse à Lusa o secretário-geral da UGT, João Proença, em reacção aos números do desemprego em Portugal, divulgados hoje pelo Eurostat. De acordo com o organismo de estatísticas da União Europeia, Portugal atingiu em Janeiro, em comparação com Dezembro de 2011, uma taxa de desemprego de 14,8%, mais duas décimas que no mês anterior, e que coloca Portugal ao lado da Irlanda, no terceiro posto dos países com taxas de desemprego mais elevadas.

"Há que haver uma reação, que para nós passa por políticas de crescimento, de emprego, mas também no local de trabalho com uma aposta grande na negociação colectiva. Se não colocarmos o combate ao desemprego no centro das preocupações estamos a ir muito mal, porque poderá originar uma grave crise social", reiterou João Proença. Para o sindicalista é de esperar que o desemprego continue "em crescendo até Março, Abril, depois haverá um abrandamento normal do Verão", e a taxa deve voltar "a disparar" no último trimestre do ano.

"Há condições para que estes números não disparem tanto, é que haja verdadeiras políticas de emprego", disse, referindo a necessidade de aplicar os compromissos pra o emprego definidos no acordo tripartido [assinado no âmbito da concertação social] e a necessidade de apostar na qualificação, nos estágios e no reforço da empregabilidade.

Na opinião de João Proença, isto é fundamental, "sobretudo para criar condições no período de relançamento económico, para estarmos preparados para responder aos desafios". Quanto à iniciativa europeia que procura dar resposta ao desemprego jovem nos oito países mais afectados pelo problema, incluindo Portugal, João Proença entende que poderá ter um "efeito positivo" na redução da taxa de desemprego. "Achamos que poderá ser uma iniciativa importante, mas não poderá ser a única", afirmou, pedindo políticas nacionais que promovam o crescimento económico e o emprego.

x
Comentários
Disclaimer
"O Económico apela aos leitores para que utilizem este espaço para um debate sério e construtivo, dispensando-se, para o bem de todos, o insulto e a injúria gratuitos. Desaconselha-se o uso exclusivo de maiúsculas e a repetição de comentários. Comentários inadequados devem ser denunciados e quando tiverem mais de cinco denúncias serão eliminados. O IP do leitor não será revelado mas ficará registado na base de dados".
x
Recomendadas
x
Social
    0 LEITORES ONLINE