IMPRIMIR

Descubra os dez carros que gastam menos combustível

Os preços dos combustíveis não param de subir. O Diário Económico mostra-lhe os dez modelos de automóveis que poupam mais e que estão à venda no mercado nacional.

Descubra os dez carros que gastam menos combustível

‘Dejá vu' ou tendência incontornável de mercado? O preço da gasolina sobe há seis semanas consecutivas e aproxima-se "perigosamente" dos máximos registados em Julho de 2008, quando chegou aos 1,525 euros por litro. Nessa altura, gastava cerca de 76 euros para atestar o depósito. Hoje, já gasta mais de 70 euros, novamente.

E este não será apenas um período de excepção. Um breve olhar ao mercado petrolífero e a equação parece simples: recursos limitados aliados à dependência global da matéria-prima (e aos elevados custos de novas explorações) e, a prazo, só pode existir um caminho - o da subida.

O destino está traçado, agora resta saber o que pretende fazer em relação a isso. Escolher um automóvel com base no consumo de combustível é uma opção, mas há concessões a fazer. De acordo com o ‘ranking' elaborado pelo portal Autohoje, o Smart fortwo, disponível nas versões coupé e cabriolet, é o automóvel mais económico do mercado, com um consumo combinado de apenas 3,3 litros de gasóleo/100 km. Ou seja, aos preços médios actuais, são cerca 3,7 euros por cada 100 quilómetros. No entanto, perde em espaço e em potência. Os 54 cavalos dão-lhe um cariz marcadamente citadino, ideal para pequenas deslocações na cidade. Já se optar pela versão a gasolina paga menos 2.500 euros no acto da compra e vê a potência aumentar para os 71 cavalos. Em contrapartida o consumo passa para os 4,3 l/100 km, o que significa gastar 5,88 euros. Mais dois euros face à versão a gasóleo para fazer os mesmos quilómetros.

Na versão a gasolina, o Citroën C3 1.4i Airdream arrecada o prémio de menor consumo combinado, 4,1 l/100 km. Os números até podem não lhe dizer muito mas, quando traduzidos em euros tornam-se mais sonantes. Por exemplo, uma pessoa que faça 50 quilómetros por dia, gasta em combustível cerca de 19,6 euros ao volante deste Citroën de cinco portas. O que, face ao modelo mais vendido em Portugal em 2009, o Renault Clio III - na versão mais económica tem um consumo combinado de 5,8 l/100 km - significa uma poupança semanal de oito euros, e mensal de 32 euros. E o Citroën é ainda cerca de 3.000 euros mais barato. No entanto, há sempre concessões a fazer e, geralmente, chama-se "potência". Os 75 cavalos do Citroën competem com os 100 cavalos do Renault.

Regra geral, os carros a gasolina são mais baratos. Primeiro, porque consomem mais, segundo, porque o combustível é mais caro. Entre os 100 modelos a gasolina mais "poupados", o consumo combinado varia entre os 4,1 e os 5,2 l/100 km, enquanto entre os 100 modelos mais económicos a gasóleo, o consumo combinado varia entre os 3,3 e os 4,3 l/100 km. Uma diferença considerável, ainda mais se atender à diferença de preços entre os combustíveis (ver caixa). Voltando ao mesmo exemplo, um condutor que faça 50 quilómetros por dia no automóvel com menor consumo a gasolina (4,1 l/100 km), gasta por semana cerca de 19,6 euros, enquanto se optar pelo carro que apresenta o menor consumo a gasóleo (3,3 l/100 km) gasta cerca de 12,9 euros. Ou seja, poupa 6,7 euros por semana e 26,7 euros por mês. O único senão é mesmo o preço. Enquanto os preços de venda ao público dos cinco carros a gasolina mais poupados variam entre os 8.800 e os 20.590 euros, nos carros a gasóleo os preços variam entre os 12.531 e os 27.795 euros, do Volvo C30 1.6D Drive.

PUB