Assine aqui o Económico

Sociedade

24 Jun 2011

Conheça os melhores restaurantes de Portugal

Inês Queirós
Conheça os melhores restaurantes de Portugal

O Económico procurou os melhores restaurantes de Norte a Sul do País.

Tradição, inovação, espírito e criatividade, tudo pesou na ementa. No fim, escolhemos dez e com pena. Queríamos ter escolhido mil.

Vila Joya

É o único restaurante em Portugal com duas estrelas Michelin, fruto do engenho de Dieter Koschina, que aqui veio parar por acaso. Hoje, não é fácil marcar mesa no Vila Joya. Mas também não vale desistir. A história começa como tantas outras que povoam o nosso Algarve. Não por "era uma vez...", mas por uma paixão. A tal paixão que dita que seja esta a região mais multilingue de Portugal. Depois, como acontece com outras tantas histórias felizes, foi tudo um pouco fruto do acaso. A paixão, que ditou que Klaus e Claudia Jung trocassem a sua Alemanha natal pelo sol da Praia da Galé, em Albufeira, poderia ter tido outro desfecho. A ideia de recuperar uma antiga casa de férias para abrir um hotel de charme numa das regiões mais turísticas de Portugal poderia não ter ido além de mais do mesmo. Com o Vila Joya não foi assim, por razões que nada têm a ver com o acaso. Mas foi por mero acaso que o ‘chef' austríaco Dieter Koschina veio parar àquele que hoje se pode gabar de ser o único restaurante com duas estrelas Michelin em Portugal. Tudo começou com um telefonema. Claudia Jung procurava alguém que lhe tomasse conta da então pequena cozinha do Vila Joya. Dieter Koschina, que na altura exercia o cargo de ‘chef' no Hilton Vienna Plaza, aceitou o desafi o. A ideia de vir viver para o Sul da Europa agradava-lhe. A experiência de alguns anos passados em Palma de Maiorca aguçava-lhe o apetite e, afi nal de contas, não conhecia Portugal. Chegou em 1990 e por cá ficou. Mais de duas décadas que se fundamentam em cerca de 10 horas de trabalho diárias, porque para este homem de espírito prático, a dedicação é o grande segredo do sucesso e as duas estrelas Michelin que brilham no seu fi rmamento valem sobretudo pela responsabilidade acrescida. Um fardo que nem parece pesar assim tanto quando se trabalha por paixão. A pequena cozinha cresceu e ganhou fama. Recebeu a sua primeira estrela em 1995 e "bisou" a proeza quatro anos depois. Hoje, não é fácil marcar mesa no restaurante do Vila Joya, mas vale a pena não desistir. A história de Dieter Koschina e a história do restaurante do Vila Joya escrevem-se com a mesma tinta e usam as mesmas palavras. São inseparáveis. Falam dos produtos frescos, de produtos regionais e do saboroso peixe do Atlântico, que ali chegam todos os dias e passam sob o olho clínico e sempre exigente de um ‘chef' criativo que, meritoriamente, projectou aquele recanto algarvio nos quatro cantos do mundo. Uma projecção a que não é de todo alheio o festival que organiza em cada mês de Janeiro, em homenagem à fundadora e grande mentora do Vila Joya. Nada por acaso, "Tribute to Claudia" é actualmente um dos eventos gastronómicos mais conceituados internacionalmente.

Morada: Estrada da Praia da Galé, Albufeira - Algarve. Tel: 289 591 795. www.vilajoya.com


FIALHO

Por aqui, passaram presidentes e príncipes, cantores de ópera e seleccionadores nacionais. A todos o Fialho recebeu com a tradição e o tempero que há mais de 60 anos caracterizam esta casa. Referência incontornável no panorama da gastronomia regional alentejana, conta-se aqui a história de uma família que já vai na terceira geração. Começou por ser tasca e, mais tarde, casa de pasto, crescendo e ampliando-se, mercê da fama que ia ganhando. Primeiro com petiscos e pratos de tradição alentejana, de confecção simples, mas cuidada. Depois, com alguns pratos de prestígio regional que o passar dos tempos quase votara ao esquecimento, como a favada real de caça, ou a poejada de bacalhau. Évora tem as suas jóias, o Fialho é uma delas.

Morada: Travessa dos Mascarenhas, nº 16, Évora. Tel.: 266703079. www.restaurantefi alho.com

TAVARES

São também histórias que nos conta o Tavares. Histórias que falam de um passado que remonta a 1784. "Mais do que um restaurante, o Tavares é um verdadeiro marco na história da cidade de Lisboa", pode ler-se hoje no seu ‘site' oficial. É, sem dúvida, o restaurante mais antigo de Portugal e o segundo mais antigo da Península Ibérica. Nem que fosse só por isso mesmo, não podia deixar de figurar nesta lista. Situado em pleno coração do Chiado foi, durante muitos anos, poiso eleito de ilustres fi guras da literatura nacional, como Eça de Queiroz, Guerra Junqueiro ou Ramalho Ortigão. No início do ano, foi notícia de destaque, com a saída do ‘chef' executivo José Avillez que, em 2009, valeu ao Tavares uma estrela Michelin. A sucessão não se fez tardar e a continuidade teria obrigatoriamente que manter os padrões elevados por que sempre se regeu o Tavares. Assim, é o francês Aimé Barroyer, antigo ‘chef' do Valle-Flôr (Pestana Palace), quem responde hoje pela cozinha do Tavares.

Morada: Rua da Misericórdia, nº 35, R/C, Lisboa. Tel.: 213421112 ou 213470906. www.restaurantetavares.pt


ELEVEN

Primeiro, é a vista que surpreende. O olhar mergulha no verde da vegetação em redor para, mais abaixo, se embrenhar nas luzes da cidade, cada vez mais longe, até mergulhar no rio, ao fundo. Mas depressa outras "vistas" se sobrepõem à panorâmica, porque se - como dizem - os olhos também comem, a mesa do Eleven não é excepção. A mestria é do ‘chef' Joachim Koerper, alemão de nascimento, mediterrânico de coração e alma e um dos onze sócios do espaço. A ele se deve o conceito gastronómico do Eleven, que inventa mil recriações para os pratos tradicionais, onde nunca falta o que de melhor os nossos mercados têm para oferecer, seja um lombo de porco preto ibérico com crosta de salva e legumes da época, ou uma garoupa com maçã caramelizada e molho de caril. Todas as histórias têm os seus momentos menos bons e a do Eleven não é excepção. No fi nal do ano passado perdeu a estrela Michelin que detinha desde 2005. Talvez na próxima edição do guia a recupere.

Morada: Rua Marquês da Fronteira, Jardim Amália Rodrigues, Lisboa. Tel.: 213862211. www.restauranteleven.com


LARGO

Surpreendeu no Porto, voltou a surpreender em Lisboa e Lisboa ganhou com isso. Falamos de Miguel Castro e Silva, claro. O Largo abriu no início do ano passado e é um dos espaços mais bonitos da capital. Mesmo à frente do Teatro de São Carlos, o restaurante conjuga a tradição arquitectónica do antigo claustro que ocupa com a decoração moderna de Miguel Câncio Martins - o mesmo do Buddha Bar de Paris. Não há quem não comente a decoração do local, quanto mais não sejam os enormes
aquários iluminados onde nadam placidamente várias medusas. A ementa, com assinatura de Miguel Castro e Silva, aposta na criatividade e nos produtos bem portugueses, como podemos encontrar no bacalhau 80º de cura portuguesa com migas de poejo e hortelã da ribeira ou na carrilheira de porco preto em vinho tinto com cominhos.

Morada: Rua Serpa Pinto, nº 10 A, Lisboa. Tel.: 213477225. www.largo.pt


ALMA

É a alma de Henrique Sá Pessoa ou, por outra, será este a alma do restaurante. Sá Pessoa é um dos mais jovens ‘chefs' portugueses e o Alma o seu primeiro projecto individual. Abriu portas em 2009 e, logo no mesmo ano, foi considerado o melhor restaurante pela "Revista de Vinhos". O espaço é pequeno e intimista e a decoração, onde predomina o branco, faz jus ao nome escolhido. Uma vez mais, a criatividade vai buscar inspiração à cozinha portuguesa e o limite fi ca num céu onde não há culpas para o pecado da gula. A degustação é a alma do negócio, quer se faça pelo badaladíssimo leitão confi tado com ‘fondant' de batata-doce, quer se opte pela tempura de sardinha e tomate seco. Aqui, os complexos fi cam à porta.

Morada: Calçada Marquês de Abrantes, nº 92/94, Lisboa. Tel.: 213 963 527


PANORAMA

Tradição, frescura, inovação e sabor são os quatro elementos básicos com que Leonel Pereira defi ne a sua cozinha. Para o ‘chef' executivo do Panorama, no Sheraton Lisboa Hotel & Spa, a criação começa pelo "respeito pela cozinha tradicional portuguesa e os seus produtos" que, do primeiro ao último, se exigem frescos, porque
todos eles têm a mesma importância. Passa pela "surpresa" e sempre por "alguma inovação" e encontra no sabor o "elemento mais importante", já que este é um universo que fala de fruição e que se rende à mercê dos seus múltiplos intérpretes. Quanto a escolhas, tudo depende das milhentas vontades que ali chegam, quer estas tendam para o fi lete de robalo selvagem em vapor do mar com espinafres, pétalas de tomate confi tadas e algas frescas, ou para o naco de novilho ‘Black Angus' sobre terrina invertida de batata e cenoura com ‘jus' de moscatel. E, para coroar, porque não um ‘capuccino' de chocolate gianduja sobre menta e ‘crumble' de laranja?

Morada: Rua Latino Coelho, nº 1, Lisboa. Tel.: 213120000. www.sheratonlisboa.com/pt/panoramarestaurante


ARCADAS DA CAPELA

É dos poucos restaurantes portugueses com estrela Michelin que pode gabar-se de ter um ‘chef' português. Albano Lourenço é, desde 2008, o responsável pela cozinha do Arcadas da Capela, na Quinta das Lágrimas, que conta ainda com a consultoria de Joachim Koerper, do Eleven. Naturalmente, as propostas vão buscar aos produtos tradicionais da região o alento para, sazonalmente, criarem receitas ao sabor da época, aquecendo as almas que por ali passam, animadas pela fama de um local que, seja pelo já consagrado prestígio gastronómico, pelo charme da oferta hoteleira ou pela lenda incontornável dos amores de Pedro e Inês, se reveste de uma graça única. Independentemente dos motivos alheios, a tradição ali é sagrada para Albano Lourenço, que não se cansa de recuperar e actualizar os receituários do passado da Quinta das Lágrimas. Coisas antigas, ou talvez não.

Morada: Quinta das Lágrimas, Rua António Augusto Gonçalves, Coimbra. Tel.: 239802380. www.quintadaslagrimas.pt


DOP

Só o nome promete, mas nunca seria por aí. Fosse apenas uma questão de nomenclatura e tudo seria mais fácil no mundo da restauração. Valeu-lhe, por certo um DOC, que o antecedeu na Régua. Valeu-lhe sem dúvida o nome de Rui Paula. Valer-lhe-á sempre a tradição duriense, que lhe está na raça e que se traduz em memórias de sabores antigos, apreendidos na cozinha da avó. Uma tradição que vai buscar a génese aos produtos únicos de uma terra que se quer singular. Falamos do norte, falamos do Porto. O DOP abriu portas no primeiro trimestre de 2010, no Palácio das Artes, zona histórica da cidade Invicta. Seguiu-se ao sucesso DOC e, claro está, teria sempre que escolher a diferença. A aposta foi para um conceito urbano, naturalmente, privilegiando a decoração moderna mas mantendo o ambiente familiar. Quanto às propostas gastronómicas, há três menus à escolha - Douro, Artes e Mar - em amena convivência com as 14 propostas do ‘show cooking' que, como o nome indica, traz para a mesa a animada mais-valia de uma cozinha ao vivo.

Morada: Palácio das Artes, Largo de S.Domingos, nº 18, Porto. Tel.: 222014313. Telm.: 910014041. www.ruipaula.com


LARGO DO PAÇO

É em Amarante que vamos encontrar o último eleito desta lista. O Largo do Paço, o restaurante do hotel de charme Casa da Calçada, está hoje nas mãos do Vítor Matos, que há um ano sucedeu a Ricardo Costa com a saída deste para o Hotel Yeatman. A estrela Michelin, perdida em 2007 e recuperada em 2009 pelo anterior ‘chef', continua hoje a brilhar no fi rmamento deste lugar de eleição, localizado entre o Porto e o vale do Douro. A cozinha de Vítor Matos revela alguma inspiração mediterrânica, privilegiando os sabores nacionais e apostando nos produtos sazonais, sempre frescos, e na originalidade, num equilíbrio constante entre o tradicional e o contemporâneo, o simples e o sofisticado.

Morada: Largo do Paço, nº 6, Amarante. Tel.: 222014313. Telm.: 255410830. www.casadacalcada.pt

[Nota: Artigo publicado na edição de Maio da Revista Fora de Serie]

 

x
Recomendadas
x
Social
    0 LEITORES ONLINE

    Comentários

    "O Económico apela aos leitores para que utilizem este espaço para um debate sério e construtivo, dispensando-se, para o bem de todos, o insulto e a injúria gratuitos. Desaconselha-se o uso exclusivo de maiúsculas e a repetição de comentários. Comentários inadequados devem ser denunciados e quando tiverem mais de cinco denúncias serão eliminados. O IP do leitor não será revelado mas ficará registado na base de dados".
    ir para o topo