Finanças Pessoais

17 Mai 2012

Cinco apoios que o podem ajudar a ser o seu próprio patrão

Alexandra Brito
Cinco apoios que o podem ajudar a ser o seu próprio patrão

Recorrer ao micro crédito, às linhas de crédito do Estado ou receber o subsídio de desemprego numa só prestação são soluções possíveis.

Se tem o sonho de um dia vir a ser empresário, dono da sua própria empresa, mas não tem dinheiro para concretizar o seu desejo, fique a saber que nem tudo está perdido. É que apesar da crise financeira e as imposições da ‘troika' terem conduzido a uma restrição severa da banca na concessão de crédito, existem algumas soluções financeiras disponíveis no mercado que permitem a criação de micro negócios - independentemente de estarem ligados ou não a uma rede de ‘frachising'. Conheça as soluções a que poderá recorrer.

1. Receber o subsídio de desemprego todo por inteiro, de uma só vez:
No âmbito do programa de apoio ao empreendedorismo e à criação de próprio emprego, levado a cabo pelo IEFP, existem vários mecanismos financeiros que pretendem ajudar as pessoas desempregadas a criarem a sua empresa. Um deles passa pelo pagamento do montante global das prestações associadas ao subsídio de desemprego, numa única prestação. A candidatura a este mecanismo é feita através da apresentação de um requerimento ao director do centro distrital do Instituto da Segurança Social da área de residência da pessoa em causa. Além disso, o requerimento deverá ser também apresentado no centro de emprego. Para ter acesso a esta facilidade o projecto apresentado terá de originar, pelo menos, a criação do emprego a tempo inteiro da pessoa desempregada.

2. Linhas MicroInvest e Invest +:
Também no âmbito do programa do IEFP de apoio à criação do próprio emprego existem duas linhas de crédito com garantia e bonificação da taxa de juro para a criação de pequenos negócios. É o caso da MicroInvest e da Invest+. A primeira permite o financiamento de projectos até 20 mil euros. Já a segunda refere-se a negócios cujo financiamento varia entre os 20 mil e os 200 mil euros. Estas linhas são destinadas a quem esteja desempregado e inscrito nos centros de emprego, mas também aos jovens que procuram o primeiro emprego. Também os trabalhadores independentes, em determinadas situações, poderão apresentar a sua candidatura a esta facilidade financeira. Um outro aspecto positivo é que os apoios dados em cada uma destas linhas de crédito são cumuláveis com o pagamento do montante global das prestações do subsídio de desemprego.

3. Microcrédito tradicional:
Uma outra solução para criar o seu próprio negócio poderá passar pelo recurso ao microcrédito tradicional. Trata-se de uma linha de crédito com garantia e bonificação da taxa de juro e que financia projectos até 20.000 euros. No entanto, as condições de acesso a esta facilidade são restritivas. Isto porque o microcrédito é destinado a pessoas que tenham especiais dificuldades de acesso ao mercado de trabalho e estejam em risco de exclusão social.

4. Linhas de crédito do Estado:
A nova linha criada pelo Governo, a 16 de Janeiro deste ano, a PMECrescimento, prevê apoios específicos para a criação de pequenos negócios. Esta linha de crédito prevê o financiamento máximo por operação de 25 mil euros no caso das micro-empresas.Já para as pequenas empresas o montante máximo é de 50 mil euros.Os empresários terão apenas de se dirigir a um balcão de qualquer um dos bancos protocolados para apresentar a sua candidatura à linha de crédito. Caberá ao banco avaliar o risco da operação e a viabilidade económica das empresas e decidir se empresta ou não o montante pedido. Para ter acesso a esta linha, é necessário que haja uma ausência de incidentes não justificados ou de incumprimentos junto da banca.

5. Acesso a apoios comunitários:
Dependendo do tipo de negócio em causa, os fundos comunitários poderão ser também uma solução para contornar as dificuldades de acesso ao crédito com que muitos pequenos empresários se debatem. Os sistemas de incentivo estão orientados para apoiar dinâmicas, como a internacionalização, a inovação ou o crescimento.

x
Recomendadas
x
Social
    0 LEITORES ONLINE

    Comentários

    "O Económico apela aos leitores para que utilizem este espaço para um debate sério e construtivo, dispensando-se, para o bem de todos, o insulto e a injúria gratuitos. Desaconselha-se o uso exclusivo de maiúsculas e a repetição de comentários. Comentários inadequados devem ser denunciados e quando tiverem mais de cinco denúncias serão eliminados. O IP do leitor não será revelado mas ficará registado na base de dados".
    ir para o topo