Presidenciais 2011

15 Jan 2011

Cavaco admite "injustiça" nos cortes salariais

Económico com Lusa
Cavaco admite

O candidato Cavaco Silva esclareceu hoje que admitiu que possa ter havido "alguma injustiça" nos cortes salariais na função pública.

Isto porque, "largos milhares de portugueses" do sector privado ficaram de fora dessa tributação.

Na sexta-feira, num jantar-comício em Arcos de Valdevez, Cavaco Silva considerou que os funcionários públicos foram "duramente atingidos nesta crise, talvez, nalguns casos, com alguma injustiça, porque outros, com muitos maiores rendimentos, não foram chamados a dar o seu contributo".

"A eles não lhes foram pedidos contributos como foram pedidos aos funcionários públicos", reforçou, na altura, sem esclarecer a quem se estava a referir.

Hoje, questionado sobre de quem estava a falar, o candidato presidencial apoiado pelo PSD, CDS-PP e MEP defendeu que era óbvio que falava de todo o sector privado: "Não sabe que as reduções de rendimentos só foram aplicadas a funcionários públicos? Não percebo... ".

"Não foram pedidos sacrifícios a outras pessoas com rendimentos muito maiores", apontou.

Cavaco Silva acrescentou que entre essas pessoas estão gestores, mas não só: "Directores, funcionários de elevados rendimentos. Não houve uma tributação sobre alguns largos milhares de portugueses. Mas isso é uma banalidade, não estou a dizer nada de novo, tudo isto é conhecido".

 

Recomendadas

x

Social

x
    0 LEITORES ONLINE

    Comentários

    "O Económico apela aos leitores para que utilizem este espaço para um debate sério e construtivo, dispensando-se, para o bem de todos, o insulto e a injúria gratuitos. Desaconselha-se o uso exclusivo de maiúsculas e a repetição de comentários. Comentários inadequados devem ser denunciados e quando tiverem mais de cinco denúncias serão eliminados. O IP do leitor não será revelado mas ficará registado na base de dados".

    Trending now

      ir para o topo