Universidades

18/05/10 13:55
Imprimir

Católica mantém-se nos 'rankings' do FT

Pedro Quedas

FCEE é a única escola portuguesa entre as melhores na formação de executivos.

Católica mantém-se nos 'rankings' do FT

Já foram publicados os ‘rankings' de 2010 do "Financial Times" dos melhores programas de formação executiva e, mais uma vez, a Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais (FCEE) da Universidade Católica é a única escola a representar Portugal, apesar de ter descido algumas posições.

A FCEE-Católica passou da 38ª posição para a 43ª na classificação dos programas feitos à medida para empresas, tendo descido também do 50º para o 52º lugar na formação executiva de inscrição aberta. "Estamos entre as melhores escolas do mundo. Por enquanto somos a única no ‘ranking' mas esperamos que, de futuro, outras escolas portuguesas se juntem a nós para que Portugal se afirme neste campo", afirma Fátima Barros, directora da FCEE-Católica.

Quando olhamos para o topo da lista na formação executiva de inscrição aberta, destaca-se o primeiro lugar alcançado pela Universidade de Virginia: Darden, depois de dois anos seguidos na segunda posição. A espanhola Iese Business School conseguiu subir do quinto lugar alcançado em 2009 para a segunda posição. Este é, no entanto, um ano "agridoce" no que respeita à performance de Espanha no sector, dado que esta subida da Iese foi acompanhada por uma quebra considerável da IE Business School, que caiu do quarto lugar em 2009 para o 15º em 2010.

Os restantes lugares no topo dos programas de inscrição aberta são ocupados pela IMD (3º), da Suíça, seguida da Harvard Business School (4º) e a Thunderbird School of Management (5º), ambas dos EUA.

Cursos à medida das empresas são uma tendência global
Apesar da crise e das previsões pessimistas nos anos anteriores, o futuro parece promissor para o mercado da formação para executivos criada à medida das necessidades das empresas. Segundo o "Financial Times", depois de uma quebra acentuada no investimento neste tipo de programas em 2009, o mundo empresarial parece estar novamente a considerar uma maior aposta na formação especializada dos seus quadros.

No topo incontestado deste ‘ranking', surge a Duke Corporate Education, que também liderou esta área em 2008 e 2009, e conta com pólos nos EUA, África do Sul, Reino Unido e Índia. Esta tendência internacional é de registar, especialmente num mercado normalmente tão dominado pelas escolas norte-americanas. De facto, oito dos programas que lideram este sector estão localizados, parcial ou totalmente, fora dos EUA. Assim, o segundo lugar no ‘ranking' é ocupado pela HEC Paris, de França, à qual se seguem a Esade Business School, de Espanha, exequo com a norte-americana Harvard Business School, e a IMD, da Suíça.

Diferentes realidades
Apesar de competirem no mesmo mercado, muitas das escolas que ascendem ao topo num género de programa, apresentam resultados comparativamente fracos no outro. De facto, a Universidade de Virginia: Darden, que aparece no primeiro lugar na formação de inscrição aberta, aparece apenas na 50ª posição nos programas feitos à medida, enquanto a Duke Corporation Education, líder incontestada na formação criada para empresas, nem sequer aparece na lista na formação aberta. No entanto, algumas escolas de topo, como a Harvard Business School ou a IMD, conseguem muito bons resultados em ambas categorias.

Com uma força crescente em ambos os mercados estão as escolas sul-americanas, das quais se pode realçar o exemplo da Fundação Dom Cabral, do Brasil. Passou do 13º lugar em 2009 para o 9º e a sua oferta criada à medida subiu oito lugares, num ano, para a 8ª posição, que agora ocupa.


TOP 5 INSCRIÇÃO ABERTA

1 - Universidade de Virgínia: Darden (EUA)

2 - Iese Business School (Espanha)

3 - IMD (Suíça)

4 - Harvard Business School (EUA)

5 - Thunderbird School of Management (EUA)


TOP 5 FORMAÇÃO À MEDIDA

1 - Duke Corporate Education (EUA / África do Sul / Reino Unido / Índia)

2 - HEC Paris (França)

3 - Esade Business School (Espanha)

4 - Harvard Business School (EUA)

5 - IMD (Suíça)

x
Comentários
Disclaimer
"O Económico apela aos leitores para que utilizem este espaço para um debate sério e construtivo, dispensando-se, para o bem de todos, o insulto e a injúria gratuitos. Desaconselha-se o uso exclusivo de maiúsculas e a repetição de comentários. Comentários inadequados devem ser denunciados e quando tiverem mais de cinco denúncias serão eliminados. O IP do leitor não será revelado mas ficará registado na base de dados".
x
Recomendadas
x
Social
    0 LEITORES ONLINE